Como tudo começou

O post de hoje é pra lá de especial. Vamos começar com o relato da SANDRA FERRAZ sobre como ela começou a sua história no universo dos vestidos de noiva e para fechar a declaração da sua primeira noiva – Vivi Capellari. As histórias se complementam lindamente e uma parece ter escolhido contar um momento/sensação que a outra deixou passar. Então, não perde nada… Boa leitura!

Declaração Sandra Ferraz:

“Costumo dizer que não escolhi essa profissão, fui escolhida por ela.  E é a mais pura verdade. Até os meus 28 anos não tinha certeza do que queria, sempre tive o empreendedorismo no sangue. Testei várias idéias e modelos de negócios, porém não me encontrava. Trabalhar com moda nunca me passou pela cabeça. Um dia resolvi fazer um curso de criação e desenvolvimento de coleções e percebi que para mim aquilo soava muito familiar, desde então não parei mais e a cada curso mais simples ficava. Realmente, buscamos longe o que está do nosso lado…
Em um dos últimos cursos antes de me descobrir, uma colega, que veio a ser uma grande amiga, me conta que iria casar e que gostaria que eu fizesse o seu vestido. Olha isso, eu que não tinha experiência nenhuma! Recebia uma proposta para lá de desafiadora. Óbvio que aceitei na hora, sem nem piscar. 

Foi um desafio de superação e muita auto confiança. Com o singelo pedido da Vivi Capellari nasceu o sonho de tantas outras noivinhas que tive o prazer de vestir e participar deste momento tão único na vida delas.
Sempre digo para elas que serei inesquecível, pois elas jamais esquecerão quem fez o seu vestido de noiva. É por isso também que dedico tanto da minha energia e carinho em fazer com que este momento seja feliz e prazeroso”.

Declaração da Vivi Capellari:

“Há mais ou menos dez anos me matriculei no curso de Moda e Design do Senai. Escolhi fazer este curso porque tinha uma pequena empresa de bijuterias, que fornecia para um número considerável de surf shops no Rio Grande do Sul, e ambicionava oferecer mais aos meus clientes. Neste curso conheci Sandra Ferraz, na época “Sandrinha”. Entre o grupo que compunha a nossa turma, não éramos nem as mais velhas, mas com certeza já éramos mais vividas que a média de nossos colegas.
Logo vimos uma afinidade entre nós, talvez pela idade, talvez pela sede de aprender e não perder tempo com os deslumbres do mundo da moda que tanto fascinam as pessoas. Queríamos aprender. Tirar o máximo possível do que nos era oferecido.
A Sandra em especial era uma aluna cheia de idéias, dúvidas, perguntas mil! Sempre super empolgada e criativa, se deliciando com cada etapa do curso. Eu tentava aproveitar ao máximo, mas percebia que alguém como a Sandra com certeza estava “anos luz” a minha frente. Não tinha como comparar. Ela tinha se criado vendo a mãe costurar. Já sabia bem mais que o básico. Com certeza estava ali para aprimorar o seu conhecimento prático, enquanto eu estava sendo apresentada a muitos objetos pela primeira vez…como por exemplo uma máquina de costura.
Fizemos quase um ano de curso juntas. No segundo ano eu deixei o curso e a Sandra prosseguiu. Concluindo o até o final com louvor. Continuamos amigas e naquele ano eu, e na época meu noivo com quem já vivia por três anos, decidimos nos casar. Não que tenha sido uma decisão fácil ou rápida, nem pensar. Fiquei bastante tempo tentando convencê-lo de realizar o meu sonho de casar na Igreja.
Sonhava com um vestido elegante, mas com personalidade. Nada de muitos brilhos, mas que brilhasse na minha noite mais especial. Quem mais poderia entender os meus sonhos e os meus anseios senão a “Sandrinha”. Fui a São Paulo comprar o tecido, sob a orientação dela. Escolhemos juntas a renda e como seria bordado. Perecia que a Sandra conseguia ler meus pensamentos….
A minha empolgação na confecção do vestido era tão grande que contagiou minhas amigas mais próximas e além de mim, mais seis pessoas estavam felizes de vestir Sandra Ferraz no dia do meu casamento. Madrinhas, melhores amigas, mães de amigas, etc.
Meu vestido ficou lindo! Delicado e elegante. Bem como eu havia sonhado. E o de todas as outras convidadas também. Cada um de um jeito, respeitando os desejos de cada uma. Sandra Ferraz possivelmente começou ali a descobrir o seu dom para transformar todas as suas clientes em Cinderelas por uma noite”.

Deixe uma resposta